Villages

Sortelha – Castelo Mendo
Etapa da Grande Rota

Sortelha, Castelo Mendo

79.54 km

Sortelha

18:30

Waypoints:Urgeira, Sabugal, Souto, Alfaiates, Rebolosa, Aldeia da Ribeira, Vilar Maior, Malhada Sorda, Freineda .

Sortelha -> Castelo Mendo
Este percurso inicia-se descendo em direção à Urgeira onde se separa da etapa Monsanto-Sortelha, daqui continua a descida em direção ao Vale do Côa. À chegada ao Sabugal cruza-se com a GR Côa. Atravessando o núcleo histórico, segue para este em direção ao Souto, para mais à frente encontrar a barragem de Alfaiates e, de seguida, a aldeia que lhe dá o nome. Continuando ao longo desta ribeira, chega à Rebolosa para daqui seguir o rio Cesarão até chegar a Vilar Maior, passando pela Aldeia da Ribeira. Daqui, o percurso mantém-se pelo planalto sobranceiro ao rio Côa, passa pela Malhada Sorda e leva-nos até à Freineda, antes de descer o vale. Cruza o rio junto a uma praia fluvial (travessia condicionada de Inverno, ver alternativa) e inicia a subida até Castelo Mendo.

Castelo Mendo -> Sortelha
O percurso sai de Castelo Mendo descendo por caminhos ancestrais até ao rio Côa para o atravessar e subir em direção à Freineda. Daqui, segue pelo planalto sobranceiro ao Côa passando pela Aldeia da Ribeira e chega a Vilar Maior. Sai desta localidade acompanhando o rio Cesarão até à Rebolosa e aqui segue a ribeira de Alfaites até à povoação com o mesmo nome. Mantendo-se ao longo desta ribeira, passa na albufeira da barragem e segue em direção ao Souto para, de seguida, entrar no Sabugal. Após cruzar o núcleo histórico, junta-se temporariamente à Grande Rota do Côa e inicia a subida em direção à Aldeia Historica de Sortelha, passando na Urgeira, onde se junta com a etapa Sortelha – Castelo Novo.

Fauna and Flora

_SORTELHA_
Sendo Sortelha uma área essencialmente granítica, a passagem pela aldeia de St.º António, por ser uma zona xistosa, corresponde a uma clara alteração de paisagem. Aqui existe uma significativa mancha de carvalho-negral aonde ocorre a felosa-de-bonelli e onde surgem, com maior frequência, castanheiros e urzes. A diversidade de avifauna surge associada à diversidade de habitats, pelo que associadas aos povoamentos florestais surgem espécies como o gaio ou o peto-verde. Ao longo da Ribeira da Meimoa e quando chegamos à albufeira, poderemos ser agraciados, junto às margens, pela presença de aves como a garça-real e a alvéola-branca ou, mais no seio da massa de água, podemos avistar o mergulhão-pequeno. Das espécies arbustivas existentes salientamos o lentisco-bastardo, o pilriteiro, a carqueja e a erva-das-sete-sangrias.

_CASTELO MENDO_
No enquadramento desta Aldeia Histórica estamos em ambiente de culturas cerealíferas, no entanto nas zonas mais húmidas podemos encontrar orquídeas do género Serapias. Depois de cruzarmos o rio Côa, entramos numa zona desarborizada, mais aberta, onde surgem algumas manchas de carvalhos e azinheiras. Esta é uma área onde predominam as herbáceas e onde os campos passam a ser limitados por muros de pedra. Podem observar-se espécies como a cegonha-branca, o milhafre-preto, o tartanhão-caçador, o chasco-cinzento ou a calhandrinha. É também de salientar que no vale da ribeira de Alfaiates, por entre freixos e amieiros, abundam o chapim-azul, a tourineira-de-barrete-preto, a carriça e a felosa-de-bonelli, entre outras espécies.